Evoé, artistas!

Tem um tipo de música que eu particularmente gosto: aquela em que a letra faz referência a outros compositores e intérpretes. Referência que, via de regra, é uma deferência. Um exemplo é a canção que dá nome a esse blog. “Paratodos” é uma homenagem do Chico ao Tom e a outros craques da MPB. Na carta em que o Maestro Soberano celebra “Paratodos” (tem mais sobre essa história aqui), ele cita outra que também faz parte desse grupo: “Samba da Bênção“, do Vinicius e do Baden, em que o poetinha pede a bênção dos amigos e parceiros de voz e violão.

Já o Paulinho da Viola reverencia seus pares em “Bebadosamba”, um chamamento dos bambas que forjaram sua música, como Donga, Paulo da Portela e João da Bahiana.

Há pouco tempo descobri mais uma para entrar nesse time: “O samba bate outra vez”, do Paulo César Pinheiro e do Maurício Tapajós. Além de ser um samba de primeira, tem a qualidade de citar algumas das mulheres que fizeram e fazem a história da MPB.

Cantar outros artistas, como se vê, dá música boa. Canções que servem, inclusive, como uma baita fonte de pesquisa. Aposto que qualquer nome que você pescar dessas letras há de trazer consigo alguma pérola do nosso cancioneiro. Nessas 4 canções, contei cerca de 130 artistas citados. A maioria aparece em apenas uma delas. Uns 25 estão em duas ou três. Somente 4 figuram em todas. Você arrisca quem são eles? Resposta logo abaixo!

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Os únicos que aparecem em todas as canções citadas são: Noel Rosa, Cartola, Pixinguinha e Nelson Cavaquinho!

Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *