Rosa de Ouro, o show que marcou posição para o samba e o canto africano

Além daquela noite de 1967, há outra noite dos anos 60 que merece ser documentada. Por volta das 23h de 18/03/1965, no Teatro Jovem, em Botafogo, era apresentado um espetáculo idealizado por Hermínio Bello de Carvalho, poeta, compositor, produtor, homem de ideias e paixões que, felizmente, desembocaram em ações que marcaram a história da nossa música.

No início da década de 60, a fama de Cartola como compositor de sambas cantados pelas vozes do rádio já havia começado e acabado, ficavam agora nos distantes anos 30. Após perder espaço, o sambista trabalhava como zelador na sede da Associação das Escolas de Samba, no Centro. Para ajudar na renda, sua mulher Dona Zica vendia refeições, que eram apreciadas e elogiadas também nos encontros da Associação. O sucesso da comida e a oportunidade de construir um refúgio para os boêmios que ficavam sem opção altas horas da noite levaram à abertura do Zicartola, restaurante que juntava o nome dos proprietários.

O crescimento das escolas de samba acabou ocupando cada vez mais espaço na Associação, e acabou escanteando a velha guarda, que foi naturalmente migrando para o Zicartola. O restaurante ficava no segundo andar (o primeiro abrigava uma alfaiataria e no terceiro moravam Dona Zica e Cartola). Ali funcionava o estabelecimento normalmente no almoço, e conforme caía a tarde chegavam os sambistas sem hora para ir embora.

Hermínio era um dos frequentadores de ouvidos atentos. Buscava articular os talentos que ouvia aqui e ali. Da vida de bancário resgatou Paulinho da Viola, e de apresentações no restaurante Taberna da Glória, Clementina de Jesus.

clementina de jesus
Clementina de Jesus

Ávido por colocar aquela reunião de talentos e a obra que ficava confinada nas rodas para receber o devido reconhecimento, Hermínio montou o espetáculo Rosa de Ouro, mesclando sambas tocados por Paulinho da Viola (com Elton Medeiros, Anescarzinho do Salgueiro, Jair do Cavaquinho e Nelson Sargento, que na apresentação abaixo, de 1980, são convocados como o “Rosa de Ouro”), sambas tradicionais cantados por Araci Cortes e cantos de origem africana na voz arrepiante de Clementina.

rosa de ouro
Músicas apresentadas no primeiro show.

Previsto para ficar um mês em cartaz, o espetáculo não só se estendeu por 12 como ainda retornou em 1967 para mais um temporada. Ambas as apresentações renderam dois álbuns com algumas músicas dos shows.

Rosa de Ouro

Rosa de Ouro – Volume 2

 

Em meio ao resgate dos sambas, o show tem esse valor histórico inestimável de apresentar Clementina ao grande público. No ano anterior, 64, ela já havia participado do show “O Menestrel”, também montado por Hermínio, mas o Rosa de Ouro teve impacto maior. A cantora que começou carreira após os 60 anos, após décadas trabalhando como empregada doméstica, tinha um repertório valioso. Músicas que saíram do Golfo da Guiné, na costa ocidental da África, chegaram a sua mãe, escravizada liberta, e foram transmitidas à “Rainha Negra”. Hoje, 07/02, é o dia do nascimento de Clementina. Vamos desfrutar do tesouro que ela trouxe de longe.


RelatedPost

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *