O lamento de Pixinguinha

Em 1922, após uma turnê de enorme sucesso do grupo “Oito Batutas” em Paris, Pixinguinha e seus companheiros foram convidados para um jantar em homenagem ao conjunto num dos hotéis mais tradicionais do Rio de Janeiro. Na entrada, foram barrados pelo porteiro, que sentenciou: “Negros entram pela porta dos fundos”. Pixinguinha virou-se serenamente para seus colegas e disse: “Lamento, mas teremos que entrar pelos fundos”. Já no camarim, receberam a visita de um gerente de hotel envergonhado, que afirmou que demitiria o responsável pelo ocorrido. Pixinguinha não permitiu que o funcionário fosse dispensado e, diante dos pedidos de perdão que o porteiro fazia aos seus pés, respondeu: “Tudo bem, meu filho, eu só lamento que tenha acontecido tudo isso, eu só lamento”. Pouco depois, seus companheiros sugeriram a ele que fizesse uma música com aquilo que dissera mais de uma vez durante o incidente. Sem qualquer sinal de tristeza, Pixinguinha escreveu um dos seus choros inesquecíveis: “Lamentos”.

Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *