Leilas

“É assim que vem a inspiração: de todas essas mulheres gélidas que você não consegue conquistar”. A amargura da frase é do tamanho da inspiração do autor: um jovem João Donato que dedicou mais de 10 temas musicais a uma namorada que o abandonou. Todos ganharam o nome da musa, Leila, e algumas dessas Leilas renderam grandes parcerias.

Com o Caetano, surgiu a bonita “Nua Ideia” (ou Leila XII), que fez parte da trilha sonora da novela “Rainha da Sucata” numa gravação da Gal, mas também pode ser ouvida na voz de outra Leila:

Outro que se debruçou sobre os temas foi o Chico. É dele a letra de “Cadê Você? (Leila XIV)”, sua única composição com o Donato. Gosto bastante dessa música. Tem aquela poesia do dia-a-dia que aparece com frequência na obra do Chico:

Eu chamo o seu apartamento
Não mora ninguém com esse nome
Que linda a cantiga do vento
Já passou

E por certo ele conhecia a dor de amor do parceiro:

A gente quase não se vê
Eu só queria me lembrar
Me dê notícia de você
Me deu vontade de voltar

Já o Gil conta que o Donato foi até sua casa com uma fita com as músicas gravadas e pediu a ele que fizesse alguma coisa com aquilo. Apesar de ter um compromisso naquele dia – e diante da insistência do amigo -, o Gil começou a trabalhar o tema Leila IV, observado pelo Donato, que pouco depois cochilou ao seu lado. E essa imagem “dele dormindo sossegado, em plena luz do dia, (…) chamou a atenção para o sentido da paz. (…) Veio à lembrança o título do livro ‘Guerra e Paz’ (…) e a letra foi sendo construída sobre essa contradição”. Do coração partido do Donato nasceu “A Paz”. Que boa contradição.


  • Fischer, Marc. Ho-ba-la-lá – À procura de João Gilberto.

RelatedPost

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *